bggghjkkkk

bggghjkkkk

23 de janeiro de 2016

LIVRO - SANTA MARIA, MÃE DE DEUS

Quando lemos os Evangelhos, podemos perceber que os Evangelistas tratam quase que exclusivamente da vida de Nosso Senhor; deixando pouco comentário a respeito de Maria, Mãe de Jesus.
Quantos de nós aqui temos pensado na vida e no trabalho desta mulher maravilhosa?
Será que Ela veio ao mundo apenas para dar a luz ao nosso Salvador?
É claro que não. Ela tinha uma missão muito especial aqui na Terra. Como também José e Jesus, tinham uma missão especial.
Joaquim e Ana viviam em Jerusalém. E naquele tempo, o casal que não tinha filhos. e segundo a crença, este fato significava não ser abençoado por Deus.
Um dia quando Joaquim se dirigia ao templo para levar oferendas, foi chamado de indigno pelo sacerdote; pois era um casal que não tinha descendência em Israel, isto é, não tinha filhos. A esterilidade era considerada desonra e até mesmo castigo. E Joaquim sentindo humilhado e muito triste, resolveu ir para o deserto. Lá permaneceu por 40 dias em jejum, e no final deste período Joaquim recebeu a visita de um Anjo e ao mesmo tempo, Ana sua esposa, também recebeu uma visita angélica, dizendo que Deus havia ouvido suas preces e que lhes daria uma descendência.
Podemos verificar que este tempo sozinho no deserto foi um período de provações e preparo espiritual para receber Aquela que havia de trazer ao mundo o Filho de Deus.
E a alma de Maria veio ao mundo livre de pecado original, sem mancha alguma, mas radiante de graças divinas. Isto é, foi concebida livre do desejo e da paixão. Aos 3 anos de idade Maria foi ao templo para ser consagrada a Deus. Maria foi educada pela própria mãe a Santa Ana e para os ensinamentos espirituais frequentou o templo dos Essênios.
E quando Maria atingiu a idade para contrair matrimônio, como era de costume, apareceram alguns pretendentes trazendo em suas mãos uma vara. Pois, segundo a crença, aquele cuja vara florescesse seria o esposo de Maria. E a única vara que floresceu foi a de José e sobre a qual apareceu o Espírito Santo sob forma de uma pomba. E José aceitou casar-se com Maria, mesmo sabendo que ela havia sido consagrada a Deus, isto é, havia feito voto de castidade.
Após o matrimonio, o casal foi guiado por seus guardiões Angélicos para morar próximo a Jerusalém. Maria era a perfeita dona-de-casa e era também a mais elevada iniciada das mulheres. Ela se dedicava amorosamente ao preparo de lã e do linho para vestir os pobres, inclusive a túnica usada por Cristo na crucificação foi tecida por ela.
No Mundo Físico esse era seu trabalho, mas também tinha outra incumbência; Maria já havia começado sua preparação iniciática para receber o grande presente de ser a Mãe do Salvador.
E para receber a Anunciação, que seria mãe de um ser iluminado, Ela preparou seu corpo espiritual através dos Nove Mistérios Menores ou Nove Iniciações ou nove Estratos da Terra, como Max Heindel descreve no Conceito Rosacruz do Cosmos. E a cada degrau de iniciação foi lhe revelando estes estratos gradualmente. Com estes nove passos Maria tornou-se consciente de toda sua evolução passada, isto é, tornou-se capaz de compreender a existência da constituição do Tríplice Corpo, Tríplice Alma e Tríplice Espírito.
Maria também foi submetida ao teste dado por Salomão, e como tal escolheu ao mais elevado: “Maria, conquistaste a graça em meus Olhos, nada lhe pode ser negado até a metade do meu Reino”. E Maria replicou: “Para mim nada quero; tudo que peço é para a raça humana”.
Diante de tanta pureza e bondade Maria recebe a Anunciação, onde lemos em Lucas Cap.1,26-28: “No sexto mês, o Anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré, a uma virgem desposada com um homem que se chamava José, da casa de Davi; e o nome da virgem era Maria. Entrando o Anjo disse-lhe: “Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo”.
Maria já estava acostumada com as visitas de Anjos, porém não conseguia compreender o sentido da mensagem dada pelo Anjo Gabriel, pois em seu íntimo desejava apenas ser a serva de Deus. Mas, o Anjo compreendendo sua aflição continuou: “Não temas, Maria, pois encontraste graça diante de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um filho, e lhe porá o nome de Jesus. Ele será grande e chamar-se-á Filho do Altíssimo e o Senhor Deus lhe dará o trono do seu pai Davi... e seu reino não terá fim. E Maria pergunta: “Como se fará isto, pois não conheço homem?”
Quando Ele diz a Maria: “Não temas”, queria explicar que não havia nada de incompatível com o voto de castidade, pois havia encontrado o privilégio do Senhor devido a sua pureza anímica. Ela não conceberia um filho na forma comum, mas que o Espírito Santo virá e a protegerá contra os desejos da carne.
E o Anjo continua dizendo: “O Espírito Santo descerá sobre ti, e a força do Altíssimo te envolverá com a sua sombra. Por isso o ente santo que nascer de ti será chamado Filho de Deus”.
E Maria aceitando e compreendendo sua bela missão responde “Eis aqui a escrava do Senhor. Cumpra-se em mim segundo a tua palavra”. E o Anjo Gabriel foi embora dando por cumprida sua missão.

Assim, Maria passa a ser o símbolo da pureza, o ideal feminino, o padrão perfeito de cada futura mãe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário